Caros amigos e amigas do Mão-Cheia,

 

O Covid-19 trouxe desafios tremendos para todos. Os restaurantes não são excepção, antes pelo contrário. E o Mão-Cheia não é um restaurante qualquer. É bem mais do que isso. Abrimos para valorizar o conhecimento dos mais velhos, para lhes trazer uma rotina e um sentimento de pertença, para mostrar a todos o quanto há ainda para dar depois dos 65 anos. Acreditamos fortemente nisto.

 

A nossa missão torna-se agora ainda mais relevante, porque as questões da saúde mental da população com mais idade se agravaram em resultado do confinamento. Mas este é também o grupo que deve ser particularmente protegido do corona vírus. E sem previsões de vacinas ou tratamentos eficazes para a Covid 19, não se espera que a situação se altere radicalmente nos próximos meses.

 

Face à nova realidade, sentimos que o modelo que tínhamos desenvolvido até aqui não é a resposta que melhor serve as pessoas mais velhas. Não lhes podemos pedir que saiam de casa e venham cozinhar para um restaurante, sabendo que isso as pode colocar em risco.

 

É por esta razão que chegou a hora de parar para pensar. Queremos refazer o nosso projecto, de forma a dar um contributo que se adeque melhor aos tempos que vivemos. Já temos várias ideias e precisamos de tempo para as desenvolver e colocar em prática. Como já perceberam, este não é um adeus, é um até já

Direcção da Associação Pão a Pão

 

O Mão-Cheia é um restaurante que contribui para um envelhecimento activo e saudável, de portugueses e imigrantes. Vamos dar a voz e o fogão aos mais velhos, que ainda têm muito para dar. Vamos levar o conhecimento e o tempo para a mesa.  E vamos passar o saber fazer aos mais novos.

 
UM PUNHADO DE COZINHEIRAS DE MÃO-CHEIA

Ana Preta

Caril de camarão moçambicano

Maria Paula

Bacalhau

com espinafres

Marquise de chocolate

Mimi

Cozido à portuguesa

Codornizes com molho de bruxa

Anabela

Favas guisadas com entrecosto

Teresa

Sigá de peixe

Doces de côco ou amendoim

São

Cachupa

António

Feijoada à brasileira

Gracinda

Rojões à moda do Minho

DIZ-SE QUE...

Ficámos fãs da Mimi e do cozido. Até queremos que todos os almoços de quarta-feira passem a ser aqui.

Adriano Guerreiro,

NIT - New in Town

NÃO PERCA PITADA, 
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER

Restaurante Mão-Cheia

Praça das Amoreiras, 56
1250-020 Lisboa |  Tel. (351) 964768476

  • Facebook
  • Instagram